0
0
0
s2sdefault

Por Rubens Barizon, Curitiba

No ritmo "Maravilhoso" do Festival de Teatro aqui em Curitiba, Paulo Verlings fala do seu personagem Henrique, seu histórico no teatro, do sentimento de protagonizar o espetáculo como o queridinho do Diaz (Márcio Machado) e dos projetos na TV.

 

Jornal de Teatro- O seu personagem Henrique remete histórias conhecidas na sociedade carioca. Conta um pouco do personagem Maravilhoso para o leitor e também sobre a preparação para interpretar o papel?

Paulo Verlings. Bom...O Henrique é um homem que após perder a mãe e passar por dificuldades financeiras e familiares desiste da vida! Mas revê essa possibilidade de desistência, quando encontra na figura do bicheiro Diaz a redenção dos seus problemas.

O Meu processo de construção parte muito do jogo com meus parceiros de cena. Busquei muitas referências em filmes,músicas e artes plásticas. Mas a Inez, nossa diretora, é fantástica quando se trata do ator e o jogo! Ela nos conduz brilhantemente e intensamente.

JT-A união e o aquecimento pré show de todo o pessoal do espetáculo, foi um momento catártico. O fato de vocês permanecerem no palco enquanto o público chegava também merece destaque. Como todo o entrosamento influência na apresentação?

PV.Todos nós desenvolvemos nosso trabalho em suas respectivas Cias. Temos processos muito parecidos de preparação e desenvolvimento. O momento de abrir as portas do teatro ao publico é muito sublime ,especial é onde de fato se da o encontro entre espectador e espetáculo, onde a convenção do teatro se realiza. E temos o ritual de recitar Fernando Pessoa onde ele disserta sobre o espetáculo!

 

JT-Conte sobre a tua trajetória no teatro e dos projetos que estão por vir?

PV.Eu sou natural do Rio de Janeiro e formado pela Escola de Teatro Martins Pena. Desenvolvo meu trabalho com a minha Cia Teatro Independente há sete anos, com meus parceiros de vida e trabalho : Carolina Pismel, Jô Bilac, Vinicius Arneiro e Julia Marini. Já trabalhei com diversos diretores de Teatro entre eles: Moacir Chaves, Vinicius Arneiro, João Fonseca,Cristina Moura, Flávio Souza e Inez Viana. Estreio agora o seriado "Copa Hotel" na GNT no Próximo 22 de Abril com direção se Mauro Lima.Na Tv Globo com a direção de Luiz Fernando Carvalho realizei "Suburbia". Com direção de José Alvarenga realizei a segunda temporada de Seriado Força Tarefa em 2010.

 

JT-Como é ser aplaudido de pé pela plateia curitibana?

PV.É uma sensação literalmente Maravilhosa! A plateia nos recebeu com muito carinho, foram muito calorosos com o espetáculo! Isso fez valer a pena estrear fora da nossa cidade. Obrigado Curitiba!

 

JT-O que é ser o Henrique, o Maravilhoso do espetáculo que tem o mesmo título, para você, Paulo Verlings?

PV.Realizar esse espetáculo é realizar um desejo! Estou falando o que desejo falar agora, neste exato momento. Dar voz ao Henrique é dar voz a minha identificação de artista. É dar voz e compartilhar com o publico minhas inquietações.