Teatro em todos os cantos de Recife

Teatro em todos os cantos de Recife

A 12ª edição do Festival Recife do Teatro Nacional terá 42 apresentações este ano. Dessas, 24 subirão aos palcos e outras 18 serão encenadas em espaços públicos descentralizados da capital pernambucana

Por Adoniran Peres, redação Florianópolis
Dando sequência a uma trajetória que visa descentralizar a arte, os espetáculos da 12ª edição do FRTN (Festival Recife do Teatro Nacional), que acontece entre os dias 19 e 30 de novembro, promete, mais uma vez, ultrapassar as fronteiras da cultura e movimentar os teatros e espaços públicos da capital pernambucana. Há três anos, o festival leva peças teatrais para 18 micro-regiões de Recife. Por falar em descentralizar, destaque para o teatro de rua, que, este ano, virá com força total – abrirá o festival com a peça “Till: a saga de um herói torto”, do grupo mineiro Galpão. “Descentralizar tem tudo a ver com o tema do festival deste ano: o teatro e a cidade. Moradores de bairros de difícil acesso não precisarão se deslocar para os grandes teatros para ter acesso à cultura e isso é fantástico”, diz Lúcia Machado, coordenadora do FRTN.
Outra atração mineira que também promete atrair o público nas ruas é a peça “Baby Dolls – uma exposição de bonecas”, do grupo Obscena. Já o Teatro que Roda, de Goiânia, traz sua versão de “Quixote”, de Cervantes, uma montagem que convida o público a rever a paisagem urbana por um outro ângulo, cheio de fantasia. Ao todo, 42 apresentações fazem parte da edição de 2009, que reúne importantes companhias da cena contemporânea nacional. Dessas, 24 apresentações subirão aos palcos do Teatro Barreto Junior, Teatro do Parque, Teatro Apolo, Teatro de Santa Isabel e Teatro Hermilo Borba Filho, além das outras 18 récitas que serão encenadas em regiões descentralizadas, como Jordão Alto e Barro.
Durante os 11 dias, a cultura teatral de Recife será reforçada com grupos de Pernambuco, de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, de Goiás, do Rio Grande do Sul, do Rio Grande do Norte e do Ceará. “O público do Recife vai respirar teatro, com acesso a espetáculos de altíssimo nível a preços populares”, explica o secretário de cultura Renato Lins. As peças têm preço máximo de R$ 5. Em 2008, aproximadamente 16 mil pessoas se deliciaram com os espetáculos do FRTN e, para 2009, estima-se que esse número seja ainda maior, pois mais peças de rua farão parte da grade, o que garante mais espectadores.
“São, pelo menos, dois espetáculos de rua que requisitaram espaços maiores e, consequetemente, pela grande estrutura montada e qualidade das peças, deve atrair um número grande de pessoas”, avalia Lúcia Machado, coordenadora do FRTN. Segundo ela, o festival visa fazer do teatro um instrumento de transformação do homem, com provocação do senso crítico, de forma que esteja junto com o povo e que interaja com ele. “As peças envolvem temáticas sociais próximas das comunidades. Entendemos que quanto mais próxima da comunidade melhor”, frisa.


Seminário e oficinas
Dentro da programação do festival serão realizados seminários e oficinas com temáticas relacionadas, principalmente, às áreas técnicas do teatro. De 21 a 24 de novembro, o Teatro Apolo receberá o seminário “Cenografias para um Teatro em Trânsito”, com participação de José Carlos Serroni (SP), João Denys Araújo Leite (RN/PE), Marcondes Lima (PE) e Cláudio Lira (PE). De 18 a 21, José Carlos Serroni (SP) ministra oficina no Oi Kabum! com o tema “Reflexões sobre Cenografia e o Espaço Cênico”. O especialista vai falar sobre a evolução do espaço cênico da Grécia até os dias de hoje, além da relação do figurino e da iluminação com a cenografia.
Lições de cenotécnica serão apresentadas por Helvécio Alves Izabel, em oficina de Cenotécnia, no Teatro Apolo, dias 17 e 18 de novembro, com elementos básicos de carpintaria, serralharia, traquitanas e mecanismos. Os participantes poderão estudar as dimensões do palco e caracterizar o espaço de acordo com as necessidades do espetáculo, além de construir objetos de auxílio técnico. Roberto Gill Camargo (SP) ministra oficina de Sonoplastia, de 25 a 27 de novembro, na Sala de Dança do Teatro de Santa Isabel, com detalhes da função estética do som e o processo de criação sonora.
Já a Cia. Obscena (Agrupamento Independente de Pesquisa Cênica-MG) propõe a produção de textualidades cênicas diversas por meio do desenvolvimento de relações com objetos, espaços, corpos e narrativas, além de procedimentos de corpo instalação, na oficina “Como se fabrica uma mulher?”, de 25 a 27, no Espaço Compassos.
O XII Festival Recife do Teatro Nacional tem investimento total de R$ 755 mil e conta com patrocínio da Eletrobrás, Chesf, Coopergas e BNB, além do apoio institucional do Minc-Funarte, Cepe (Companhia Editora de Pernambuco) e Oi Kabum!.

PROGRAMAÇÃO DESCENTRALIZADA
19.11 – 19h
20.11 – 20h
TILL, A SAGA – Praça do Arsenal

22.11 – 16h
MISERIA – Morro da Conceição
QUIXOTE – Academia da Cidade – Joana Bezerra

23.11 – 16h
MISERIA – Praça Nossa Senhora de Fátima – San Martin
QUIXOTE – Praça Coronel Othon – Macaxeira

24.11 – 16h
BABY DOLLS – Rua da Imperatriz – Boa Vista
MISERIA – Praça Tertuliano Feitosa – Hipódromo
QUIXOTE – Em frente ao CSU Afrânio Godoy – Alto Santa Terezinha

25.11 – 16h
BABY DOLLS – Pátio da Feira de Casa Amarela
QUIXOTE – Praça Presidente Kennedy – Jordão Alto
MISERIA – Praça Arnaldo Assunção – Engenho do Meio

26.11 – 16h
BABY DOLLS – Praça Pinto Damásio – Várzea
QUIXOTE – Praça Barreto Campelo – Torre
MISERIA – Buraco da Gata – Três Carneiros

27.11 – 16h
BABY DOLLS – Terminal Integrado de Passageiros / Estação do Metrô – Barro
MISERIA – Praça das Lavadeiras – Areias

28.11 – 16h
BABY DOLLS – Praça Nossa Senhora da Boa Viagem

Programação nos Teatros

20.11 – 19h
19h – Teatro Barreto Júnior – Encruzilhada Hamlet (PE)

21.11
16h30 – Teatro do Parque – Outra vez, era uma vez… (PE)
19h – Teatro Barreto Júnior – Encruzilhada Hamlet (PE)
21h – Teatro Apolo – In On It (RJ)

22.11
16h30 – Teatro do Parque – Outra vez, era uma vez… (PE)
19h – Teatro Hermilo Borba Filho – Carícias (PE)
21h – Teatro Apolo – In On It (RJ)

23.11
19h – Teatro Hermilo Borba Filho – Carícias (PE)
21h – Teatro de Santa Isabel – Vozes Dissonantes (SP)

24.11
19h – Teatro Hermilo Borba Filho – Playdog (PE)
21h – Teatro de Santa Isabel – Mary Stuart (RJ)

25.11
19h – Teatro Hermilo Borba Filho – Playdog (PE)
19h – Teatro Barreto Júnior – A Mar Aberto (RN)

26.11
19h – Teatro Barreto Júnior – A Mar Aberto (RN)
21h – Teatro Apolo – Réquiem (SP)

27.11
19h – Teatro Barreto Júnior – Meire Love (CE)
21h – Teatro Apolo – Réquiem (SP)
21h – Teatro Hermilo Borba Filho – Rainhas – Duas atrizes em busca de um coração (SP)

28.11
19h – Teatro Barreto Júnior – Meire Love (CE)
21h – Teatro Hermilo Borba Filho – Rainhas – Duas atrizes em busca de um coração (SP)
19h – Teatro do Parque – Encantrago – Ver de rosa um ser tão (CE)

29.11
21h30 – Teatro do Parque – Encantrago – Ver de rosa um ser tão (CE)

Previous Renato Borghi: as várias faces de um apaixonado pelo teatro
Next A farsa do macho e a graça da fêmea

About author

You might also like

Festivais 0 Comments

Despedida do Festival de Curitiba

Público estimado em 220 mil pessoas com 1200 apresentações em 76 espaços culturais

Festivais 0 Comments

Participação artística como arma para democracia real

Por Michel Fernandes – especial para o Jornal de Teatro A 41ª edição do FILO (Festival Internacional de Londrina), que acabou no final de junho, entra para a história das

Festivais 0 Comments

Compagnie Un loup pour l’homme apresenta «Appris par corps» em turnê pelo Brasil

Por Dominique Belbenoit Um corpo a corpo fascinante entre o francês Alexandre Fray e o canadense Frédéric Arsenault fez do espetáculo “Appris par corps” um dos destaques da décima edição

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!