Teatro da Estrutura

Teatro da Estrutura

Por: Fabiana Costa

A Cia.

Um grupo de jovens transborda desejo de atuar, criar e aguçar os sentidos alheios. Mesmo carentes de patrocínio e apoio, eles acreditam que podem fazer a diferença. Para a Cia, é importante levar a cultura para a zona Norte do Rio de Janeiro e já que companhias nomeadas não fazem, eles mostram a cultura para o outro lado do túnel.

O grupo nasceu no dia 16 de agosto de 2007, passou por algumas transformações até chegar à imagem de hoje. Oito artistas dirigidos pelo mineiro Márcio Zatta com um repertório de peças que vão do drama à comédia.

Em 2008, “A mais forte, estruturada” foi o carro abre-alas da Cia. Depois vieram “Babel de messalinas” (2008), “97º Sura” (2007), “O cavaleiros” (2007), entre outras. A próxima aventura de Zatta será romântica. A releitura da peça “Sonhos de uma noite de verão”, de William Shakespeare.

Transitar por campos distintos da dramaturgia e ser impactante sem perder a essência do teatro e o mais difícil, sem apoio. 

 “Poucas vezes o objetivo do teatro é cumprido, eu vejo muitas peças comercializadas. Pra mim, o teatro é uma forma de conscientizar as pessoas.” – Rodrigo Carvalho, ator.

 Na Cia., eles fazem tudo. Produzem, organizam, assessoram e, claro, mostram o talento no palco.

 

Apocalipse

Sem abraçar nenhuma causa religiosa, o espetáculo mostra de maneira realista o mundo. A forma como as pessoas são tratadas, vistas, cuidadas, os jeitos de nos comunicarmos. Numa rota guiada pelos atores, a plateia passa por cômodos densos, escuros e caóticos, se deparando com situações encenadas, mas que podem ser encontradas na esquina mais próxima ou mesmo dentro de casa.

Odores, calor, frio e arrepio. Sensações e sentidos são despertados tendo como ideia mostrar o íntimo de cada um, um pensamento, por menor que seja. O importante é provocar questionamentos, as respostas o público não terá, mas será instigado a perguntar, segundo o diretor Márcio Zatta. O trabalho é considerado bem realizado quando os espectadores percebem que são agentes da cena e se existir alguma mudança no roteiro ou chance para tal, é responsabilidade de cada um.

“Buscamos tocar nas feridas, discutir questionamentos, não ficamos esperando. Chamamos a plateia para uma reflexão.” – Márcio Zatta, diretor da Companhia.

Por ser itinerante no Escombro Cultural, só é permitida a entrada de 20 pessoas por espetáculo.

A peça estreou dia 04 de abril, deu uma pausa para cumprir a agenda da outra peça do repertório do grupo, “Mulheres de Nelson”, e retornou às atividades no dia 13 de junho.

Com texto de Márcio Zatta e Isaac Érder, direção também de Zatta, a peça já se mostrou um sucesso, pelo número de espectadores e a procura pelas apresentações. O elenco é composto por oito atores que representam mais de um personagem. São eles: Helen Maltasch, Otto Caetano, Carol Mattos, Felipe Gonçalves , Charlles Lima , Sarah Diniz , Rodrigo Carvalho e Débora Xavier .

Conheça mais o diretor Márcio Zatta

“Ele é um diretor que ensina, mostra e soma a cada um”. “Busca novas vertentes para alimentar o grupo”. Palavras dos companheiros de Marcio Zatta. Assim, ele conquistou a confiança dos intérpretes da Cia da Estrutura. e consegue avançar com passos dignos e firmes cada trabalho que produz.

Helen Maltasch, atriz e produtora da Cia. não passou no primeiro teste para entrar na companhia, mas isso não a fez desistir. Hoje, ela é uma das idealizadoras junto ao grupo – “Minha primeira experiência com o Márcio foi como espectadora, me apaixonei pelo trabalho e decidi que me dedicaria pra trabalhar com ele.”- diz Helen.

Márcio Zatta há tempos respira e transborda arte. Em 2005, esteve em Vitória, capital do Espírito Santo e, lá, trabalhou com a Cia. Teatro Experimental sendo o diretor do grupo e dirigiu a primeira montagem de “Apocalipse”. Na época, gerou grandes críticas. Nos dois anos em que ficou em Vitória, Zatta dirigiu oito espetáculos e dois ciclos de leitura, acumulando seguidores e admiradores. Em 2007, chegou ao Rio de Janeiro com o grupo, que se transformou em Cia. Teatro da Estrutura. 

 

 

 

 

 

 

Previous "Trabalhos de Amor (quase) Perdidos"
Next "A Curra"

About author

You might also like

Reportagens 0 Comments

Sem chance para dizer Adeus!

Morte de Juliana de Aquino no AF 447 deixa o mundo dos musicais de luto. Cantora, que fazia sucesso na Alemanha, veio visitar a família.

Reportagens 0 Comments

Arquitetura faz arte no teatro

As construções de espaços teatrais neoclássicos impactam por sua grandiosidade e beleza

Reportagens 0 Comments

Cantores brasileiros de renome também foram interpretados por grandes atores

Não só mulheres marcaram os musicais recentes no Brasil. Alguns dos maiores nomes masculinos da dramaturgia nacional já entraram para a história por grandes atuações, nas quais encarnavam o espírito

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!