Teatro da Estrutura

Teatro da Estrutura

Por: Fabiana Costa

A Cia.

Um grupo de jovens transborda desejo de atuar, criar e aguçar os sentidos alheios. Mesmo carentes de patrocínio e apoio, eles acreditam que podem fazer a diferença. Para a Cia, é importante levar a cultura para a zona Norte do Rio de Janeiro e já que companhias nomeadas não fazem, eles mostram a cultura para o outro lado do túnel.

O grupo nasceu no dia 16 de agosto de 2007, passou por algumas transformações até chegar à imagem de hoje. Oito artistas dirigidos pelo mineiro Márcio Zatta com um repertório de peças que vão do drama à comédia.

Em 2008, “A mais forte, estruturada” foi o carro abre-alas da Cia. Depois vieram “Babel de messalinas” (2008), “97º Sura” (2007), “O cavaleiros” (2007), entre outras. A próxima aventura de Zatta será romântica. A releitura da peça “Sonhos de uma noite de verão”, de William Shakespeare.

Transitar por campos distintos da dramaturgia e ser impactante sem perder a essência do teatro e o mais difícil, sem apoio. 

 “Poucas vezes o objetivo do teatro é cumprido, eu vejo muitas peças comercializadas. Pra mim, o teatro é uma forma de conscientizar as pessoas.” – Rodrigo Carvalho, ator.

 Na Cia., eles fazem tudo. Produzem, organizam, assessoram e, claro, mostram o talento no palco.

 

Apocalipse

Sem abraçar nenhuma causa religiosa, o espetáculo mostra de maneira realista o mundo. A forma como as pessoas são tratadas, vistas, cuidadas, os jeitos de nos comunicarmos. Numa rota guiada pelos atores, a plateia passa por cômodos densos, escuros e caóticos, se deparando com situações encenadas, mas que podem ser encontradas na esquina mais próxima ou mesmo dentro de casa.

Odores, calor, frio e arrepio. Sensações e sentidos são despertados tendo como ideia mostrar o íntimo de cada um, um pensamento, por menor que seja. O importante é provocar questionamentos, as respostas o público não terá, mas será instigado a perguntar, segundo o diretor Márcio Zatta. O trabalho é considerado bem realizado quando os espectadores percebem que são agentes da cena e se existir alguma mudança no roteiro ou chance para tal, é responsabilidade de cada um.

“Buscamos tocar nas feridas, discutir questionamentos, não ficamos esperando. Chamamos a plateia para uma reflexão.” – Márcio Zatta, diretor da Companhia.

Por ser itinerante no Escombro Cultural, só é permitida a entrada de 20 pessoas por espetáculo.

A peça estreou dia 04 de abril, deu uma pausa para cumprir a agenda da outra peça do repertório do grupo, “Mulheres de Nelson”, e retornou às atividades no dia 13 de junho.

Com texto de Márcio Zatta e Isaac Érder, direção também de Zatta, a peça já se mostrou um sucesso, pelo número de espectadores e a procura pelas apresentações. O elenco é composto por oito atores que representam mais de um personagem. São eles: Helen Maltasch, Otto Caetano, Carol Mattos, Felipe Gonçalves , Charlles Lima , Sarah Diniz , Rodrigo Carvalho e Débora Xavier .

Conheça mais o diretor Márcio Zatta

“Ele é um diretor que ensina, mostra e soma a cada um”. “Busca novas vertentes para alimentar o grupo”. Palavras dos companheiros de Marcio Zatta. Assim, ele conquistou a confiança dos intérpretes da Cia da Estrutura. e consegue avançar com passos dignos e firmes cada trabalho que produz.

Helen Maltasch, atriz e produtora da Cia. não passou no primeiro teste para entrar na companhia, mas isso não a fez desistir. Hoje, ela é uma das idealizadoras junto ao grupo – “Minha primeira experiência com o Márcio foi como espectadora, me apaixonei pelo trabalho e decidi que me dedicaria pra trabalhar com ele.”- diz Helen.

Márcio Zatta há tempos respira e transborda arte. Em 2005, esteve em Vitória, capital do Espírito Santo e, lá, trabalhou com a Cia. Teatro Experimental sendo o diretor do grupo e dirigiu a primeira montagem de “Apocalipse”. Na época, gerou grandes críticas. Nos dois anos em que ficou em Vitória, Zatta dirigiu oito espetáculos e dois ciclos de leitura, acumulando seguidores e admiradores. Em 2007, chegou ao Rio de Janeiro com o grupo, que se transformou em Cia. Teatro da Estrutura. 

 

 

 

 

 

 

Previous "Trabalhos de Amor (quase) Perdidos"
Next "A Curra"

About author

You might also like

Reportagens 0 Comments

Sem chance para dizer Adeus!

Morte de Juliana de Aquino no AF 447 deixa o mundo dos musicais de luto. Cantora, que fazia sucesso na Alemanha, veio visitar a família.

Reportagens 0 Comments

“O instante não é de conter, como não é de desperdiçar”

Influências, propostas e ideias de Gero Camilo

 

Reportagens 0 Comments

Teatro e pacotes culturais impulsionam o turismo

    Por Daniel Pinton Que tal aliar uma viagem agradável a uma atraente programação cultural? Acredite, isso é possível e você ainda pode economizar um bom dinheiro. Cada vez

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!