Recomeço do ciclo anual

Recomeço do ciclo anual

Por Rubens Barizon
Da Redação

O carnaval acabou, mas a poeira demorou a assentar, muitos blocos ainda circularam nas ruas do Brasil todo no fim de semana após o término da festa no calendário. Em especial no Rio de Janeiro, de onde vos falo. Vai demorar um tempo para cair a ficha de que a folia deve ser deixada para trás e que hoje, segunda feira dia 18, é que o ano começa.

De certo que a cobertura sobre a multiplicidade étnica, cultural e social do evento em si, permitiu uma intervenção momentânea durante o período de folia veraneia do hemisfério sul. O vício de ser folião e todos os seus contrastes, a alegria e a simplicidade dos nada corriqueiros blocos de rua, a magnitude e deslumbre das poderosas escolas de samba, artistas e anônimos, o luxo e o lixo, a organização que sobrevive da desordem e tudo envolvido num mesmo espetáculo teatral, o maior do mundo, o Carnaval.

Menciono o sul, pois o Uruguai tem o carnaval mais longo do mundo com coreto e exibições teatrais – mesmo! a Colômbia, Venezuela e por aí vai. No cenário nacional, O Galo da Madrugada com seus milhões de componentes, a Vila Isabel com o enredo dos agricultores e a Mocidade Alegre em São Paulo com a sedução campeã. A partir daí pode se entender o tropicalismo no Brasil, a sociologia em desenvolvimento, bem como a economia em inflação quase máxima. A poupança, essa vale pouco durante o ano inteiro, não no carnaval que se gasta além da conta.

Ainda não havia começado a celebração dos dias que precedem a quarta feira de cinzas, que por aqui também é comemorada como carnaval, quando já pegou fogo na Boate em Santa Maria, o que acarretou uma série de cancelamentos na programação cultural de todo o país por falta de estrutura nos teatros; ainda era carnaval quando o papa, a entidade maior da igreja, renunciou ao cargo no vaticano e até meteoro caiu na Rússia, algo que não era esperado nem pelos especialistas nesse fim do carnaval.

O entrudo dá lugar a encenação da paixão de Cristo e aos chocolates da páscoa que tomam as vitrines, dando a sequência anual aos acontecimentos da agenda temática que a vida prega: com enredo, personagens e as variações conforme a moda que faz do espectador coadjuvante uma marionete, como um destaque ativo de lucro.

Previous Ator e autor Rodrigo Nogueira faz nome na dramaturgia
Next Amor, amizade e destino de amigas são elementos do texto de Carla Faour

About author

You might also like

Dança 0 Comments

Passinho Suave faz nova temporada no centro coreográfico da cidade do rio de janeiro, na tijuca

Inspirado no passinho, dança urbana que surgiu do funk carioca, Suave apresenta em cena a explosão cultural do movimento, que surgiu nas comunidades cariocas, com a democratização ao acesso à

Dança 0 Comments

Cia de dança JP Move completa 18 anos de trajetória com temporada do premiado espetáculo “QUE SE FUNK”

Completado 18 anos de uma importante trajetória no trabalho com jovens da periferia carioca, a companhia de dança JP Move, dirigida por Michel Cordeiro, inicia nova temporada do premiado espetáculo

Dança 0 Comments

Estão abertas as inscrições para as oficinas do dança em foco 2016

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo site www.dancaemfoco.com.br até o dia 30/04. Para cada oficina são destinadas 20 vagas. O festival, que acontecerá de 24/05 a 05/06

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!