“Por que tenho essa forma?” prorroga temporada em São Paulo

A pesquisa de mais de vinte anos da coreógrafa Zélia Monteiro resultou no espetáculo “Por que tenho essa forma?”, em cartaz em São Paulo até o dia 30 de agosto. O trabalho é conhecido pela interferência de movimento, música e luz no palco – reunindo artistas de diferentes áreas para discutir temas como corpo, espaço e tempo. O espetáculo está em cartaz no Sesc Consolação, segue para o Cine Olido e depois Centro Cultural São Paulo, ambos no centro da cidade.

Pautado pela improvisação, o elenco segue uma estratégia de criação e de composição cênica que investiga modos de criar e de compor textos coreográficos. A subjetividade está presente nos movimentos que diferenciam o instante – inserido entre o passado e o futuro – e a duração – que se constrói durante o percurso.
Bailarina e professora desde 1977, Zélia Monteiro estudou dança clássica em Milão e trabalhou com nomes como Maria Melô e Klauss Vianna. Foi premiada em 1987 (APCA), 1988 (Lei Sarney) e 1992 (APCA). Em 1993 recebeu a Bolsa Vitae de Artes para pesquisa coreográfica realizada em Paris, onde deu aulas regulares. Em abril de 2006 recebeu o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna da Funarte, para realização de pesquisa. Em dezembro de 2006 recebeu o Prêmio PAC Circulação, da Secretaria de Estado da Cultura (SP), para tournée de espetáculo e, em 2007, recebeu o Prêmio Fomento à Dança, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

Previous Paulo Betti: Sem medo de inovar e de dar opinião
Next Balé Folclórico da Bahia valoriza artistas locais

About author

You might also like

Dança 0 Comments

Na poeira da dança contemporânea

Do Festival de Edimburgo para Curitiba. 2Faced apresenta o espetáculo In The Dust

Dança 0 Comments

Prêmio Desterro selecionará bailarinos

Festival é o único credenciado em Santa Catarina para indicar dançarinos à fase nacional da maior competição do mundo entre estudantes de dança

Dança 0 Comments

Criatividade mineira vinda de todo Brasil

  Grupo Movasse trabalha a dança contemporânea através da independência e afinidade artística, sem abrir mão do incentivo de editais Por Ive Andrade Formado há apenas três anos, o grupo

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!