Oi para o Futuro

Oi para o Futuro

Empresa de telefonia amplia seus investimentos em projetos sociais e culturais pelo Brasil 

Por Daniel Pinton

Fundado em 2001, o Oi Futuro, instituto de responsabilidade da empresa de telefonia Oi, tem promovido a cultura brasileira através de projetos apoiadores das mais variadas expressões artísticas em todo o Brasil. Já foram investidos pelo instituto mais de R$ 170 milhões em mais de 550 projetos sociais e a estimativa da empresa é que mais de três milhões de pessoas já foram contempladas nos 17 Estados onde atua.
“Para 2009, o Oi Futuro pretende estender às novas regiões de atuação da companhia os mesmos programas que já contribuem para a construção de uma sociedade melhor. Esse conjunto de programas e iniciativas, validados pela sociedade civil através de consulta pública, foram fundamentais para o ingresso da Oi no ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial) da Bovespa”, enfatiza o presidente do Oi Futuro, José Augusto da Gama Figueira.

No Oi Futuro do Rio de Janeiro, localizado no bairro do Flamengo, o visitante tem contato com inúmeras experiências sensoriais em seus espaços de visitação, que incluem galerias de artes visuais – onde, por exemplo, obras do renomado artista plástico Gary Hill foram expostas na última semana -, teatro – em cartaz com a peça “Sutura” e a infantil “A História do 4º Rei Mago” -, o espaço Biblio_tec – um lugar onde o visitante encontra livros envolvendo arte e tecnologia -, o Infomúsica – que coloca à disposição dos visitantes CDs raros e lançamentos musicais – e um cyber restaurante – o Conexão.Sabor -, além de frequentemente servir como abrigo para workshops interativos como o do Perc Pan 2009, um dos mais prestigiados festivais de percussão no mundo. Em suma, um lugar de fusão de linguagens e convergência de mídias que valeu ao instituto o prêmio Urbanidade 2005, oferecido pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil, pela sua contribuição cultural e arquitetônica à cidade do Rio de Janeiro.  
O Espaço Cultural Oi Futuro Belo Horizonte, no bairro Mangabeiras, não fica atrás em matéria de atrações. O carro-chefe da filial mineira é o Teatro Klauss Vianna que atualmente recebe a trilogia de espetáculos “Por Elise”, “Amores Surdos” e “Congresso Nacional do Medo”, todos montados pelo grupo Espanca!. Até o final do ano, ainda serão apresentadas as peças “No Pirex” e “Inveja dos Anjos”. Além das produções teatrais, o Klauss Vianna também abrigará nesta temporada o espetáculo de dança Era para Ser e Não Foi, o festival Transamazoniennes e shows musicais diversos. No Oi Futuro BH, o visitante também pode conferir encontros com nomes importantes do pensamento e da arte contemporânea para papos interativos, perfomances multimídia e oficinas voltadas à arte, à cultura e à tecnologia no Oi Cabeça, no Palavraimagem e na Galeria Mural.


QUASE R$ 30 MILHÕES PARA A CULTURA
A grande contribuição da Oi para a cultura brasileira, no entanto, vem através de seus patrocínios teatrais. Somente este ano, serão cerca de R$ 29,2 milhões investidos na cultura brasileira através de leis de incentivo estaduais e municipais. Entre as iniciativas selecionadas, em meio as mais de quatro mil propostas inscritas dos diferentes Estados da área de atuação da companhia, há mostras de cinema e artes visuais, longa-metragens, obras de teatro, shows de música, festivais de dança, novas tecnologias, cultura popular, literatura e patrimônio. “Os projetos foram avaliados por comissões especializadas em cada uma das áreas culturais e terão a confirmação do patrocínio condicionada à apresentação dos certificados válidos nas leis estaduais e municipais de incentivo à cultura”, explica a assessoria do Oi Futuro, gestor do projeto. “O programa considera fundamentais aspectos como a capacidade de geração de novas plateias, de renda, de criação de novas oportunidades de trabalho e de formação de artistas. Também foram priorizadas iniciativas que valorizam talentos regionais e que possibilitem o intercâmbio de ideias e a convergência entre a arte e tecnologia”, completa.

Previous Divulgado o resultado do edital de ocupação de teatros do Rio
Next Roupa nova

About author

You might also like

Marketing Cultural 0 Comments

Meia-entrada – polêmica perto do fim?

Novo projeto de lei pode moralizar a venda de ingressos para estudantes e minimizar os prejuízos da classe artística. UNE, porém, é contra a proposta Por Alysson Cardinali Neto Alegria

Marketing Cultural 0 Comments

CCBB: marketing cultural de vanguarda

Projeto pioneiro do Banco do Brasil completa em outubro 20 anos de sucesso e reconhecimento no Rio de Janeiro  Por Bruno Pacheco O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do

Marketing Cultural 0 Comments

Sem dar passos no escuro

Tirar todas dúvidas é a melhor maneira para se evitar problemas na hora das prestações de contas, seja para empresas públicas ou privadas

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!