Nelson 100 anos

 

No centenário do maior dramaturgo do teatro brasileiro o Centro Cultural Banco do Brasil abre espaço para discussão e reflexão sobre o universo de Nelson Rodrigues. Buscando promover uma maior aproximação entre o público e a contundente obra de Nelson, esses encontros trazem personalidades com profundo conhecimento de seu trabalho e que até mesmo tiveram oportunidade de conviver com o gênio. Leituras e material audiovisual também vão ilustrar e enriquecer ainda mais o debate.

No dia 14 de agosto o ciclo recebe Marília Pêra, uma das grandes damas do teatro nacional.
Durante sua carreira Marília teve oportunidade de encarnar no teatro e no cinema emblemáticos personagens femininos de Nelson, a Geni, de Toda Nudez Será Castigada (98), montagem com direção de Moacir Góes, e Madame Clessi, de Vestido de Noiva (2004), longa com direção de Jofre Rodrigues, filho do autor. Ela vai conversar com o público e ler alguns
trechos de alguns textos famosos do dramaturgo.

Em setembro, um trio de convidados lança um olhar sobre o homem Nelson Rodrigues. A partir de depoimentos de Nelson Rodrigues Filho, do biógrafo Ruy Castro e da atriz Nicete Bruno, cuja mãe foi namorada de Nelson, vamos saber um pouco mais sobre o polêmico dramaturgo, sua vida como jornalista, sua família, suas posições políticas e sua paixão pelo futebol e pelo Fluminense.

Outubro vai reunir os diretores Marco Antônio Braz, um dos que mais encenou a obra de Nelson Rodrigues até hoje, e Aderbal Freire-Filho, com as atrizes Cleyde Yáconis e Denise Fraga, que se reuniram recentemente para um trabalho em torno da obra rodrigueana.

Encerrando os encontros em novembro, o cineasta Neville de Almeida e a atriz Lucélia Santos falam da dramaturgia de Nelson Rodrigues transportada para a linguagem cinematográfica, ele responsável pelo maior sucesso de bilheteria de um filme baseado num texto de Nelson, A Dama do Lotação (78); ela estrela de Álbum de Família, Engraçadinha e Bonitinha, mas Ordinária, todos lançados em 1981.

Nelson Rodrigues nasceu no dia 23 de agosto, no Recife, em 1912 e mudou-se em 1916 para o Rio de Janeiro, adotando a cidadania: “Sou essencialmente carioca.” Sua vida pessoal e familiar foi marcada por acontecimentos trágicos
que viriam influenciar e ressurgir como temas em sua obra. Durante longos anos trabalhou como repórter policial, onde lapidou o estilo que iria consagrá-lo como jornalista, escritor e dramaturgo.
Seu primeiro sucesso artístico foi Vestido de Noiva, peça na qual o autor criou as condições de uma poderosa renovação do teatro brasileiro. Deixou para a dramaturgia o legado de uma obra genial formada por dezessete peças de vital importância para a compreensão da cultura brasileira e, em certa medida, das contradições humanas. O amor, o adultério, a traição, o incesto e a morte são temas frequentes em seu trabalho. Foi comentarista e cronista esportivo, torcedor fanático do Fluminense. Faleceu no dia 21 de dezembro de 1980.

NELSON 100 ANOS

14 de agosto, 11 de setembro, 9 de outubro e 13 de novembro
Nas segundas terças-feiras de cada mês, às 18h30

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL
Rua Primeiro de Março, 66 – Teatro I

ENTRADA FRANCA
Senhas distribuídas uma hora antes do evento

Previous Cia Imaginários
Next Alice no país das maravilhas

About author

You might also like

da Redação 0 Comments

“Desmiolações”

“Um espetáculo que contém sonhos, devaneios e mirabolações de crianças desmioladas!”. Assim a Palhaça Rubra define “Desmiolações”, montagem adaptada para o teatro do livro homônimo escrito pela atriz Lu Lopes

da Redação 0 Comments

Espetáculo “Quixote” reestreia em São Paulo

Insipirada na obra de Cervantes, peça se apresenta até o fim do mês no teatro Paulo Eiró.
da Redação 0 Comments

“Marias da Luz” será encenada neste sábado no Parque da Luz

 

Espetáculo é resultado de dois anos de pesquisa do projeto contemplado no Petrobras Cultural

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!