MinC e sociedade civil se reúnem para debater políticas culturais

MinC e sociedade civil se reúnem para debater políticas culturais

As áreas de circo, música, dança, artes visuais e teatro tiveram seus regimentos internos aprovados durante a última reunião dos Colegiados Setoriais de Cultura entre os dias 27, 28 e 29 de outubro, em Brasília.
O encontro – o segundo de 2009 – foi organizado pelo Conselho Nacional de Política Cultural, órgão colegiado do CNPC/MinC (Ministério da Cultura). “Esses documentos são fundamentais para formalizar o canal de diálogo entre o Estado e a sociedade civil. Com o regimento interno de cada colegiado abre-se um espaço para se institucionalizar de fato a participação da sociedade no Ministério”, explicou o coordenador geral do CNPC, Gustavo Vidigal.
Os textos aprovados serão encaminhados para avaliação do ministro da Cultura, Juca Ferreira, e, posteriormente, divulgados no Diário Oficial da União. O único Colegiado Setorial que não teve o regimento aprovado foi o do Livro e Leitura, que marcou uma nova reunião para o dia 20 de novembro.

II Conferência
Nacional de Cultura
Durante os três dias de reunião, os colegiados também discutiram diversas questões referentes à II CNC (Conferência Nacional de Cultura), que deverá acontecer em março de 2010. A sugestão apresentada por dirigentes do MinC foi a adoção do Regimento Interno da II CNC pelos Estados e municípios para facilitar a realização das conferências regionais.
A Bahia foi apontada como um dos Estados mais organizados em termos de conferências culturais. O diretor do Centro de Artes Cênicas da Fundação Nacional de Artes (Funarte/MinC), Marcelo Bones, explicou que a região já concluiu as conferências municipais e se prepara para realizar as setoriais.
Ele afirma que é sempre muito produtivo quando a sociedade civil e os setores culturais se unem com o governo para debater novas políticas. “O pacto federativo no Brasil ainda é incompleto, por isso é importante que haja um alinhamento entre os Estados; as Conferências Culturais são um espaço para isso”, disse.

Projetos Culturais de diferentes plataformas são discutidos em Brasília

Um projeto cultural para a criação de um portal de dança clássica é de competência de qual segmento: dança, audiovisual ou artes integradas? Qual é o enquadramento na Lei Federal de Incentivo à Cultura? O artigo 18, com 100% de renúncia fiscal, ou artigo 26, que permite 30%?
Essas questões estão sempre em discussão pelos conselheiros que compõem a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura. A definição desses critérios foi tema de sessão extraordinária, ocorrida no dia 21 de outubro, em Brasília, imediatamente após a 170ª Reunião da CNIC. O debate contou com subsídios fornecidos por Fábio Kobol, chefe de gabinete do secretário de Políticas Culturais do MinC, e José Murilo Júnior, coordenador de Cultura Digital, presentes ao encontro.
O secretário de Fomento e Incentivo à Cultura, Roberto Nascimento, afirmou que a Comissão precisa avançar na definição desses critérios, pois projetos culturais com novas linguagens e características diversificadas estão sendo recebidos para análise e a atual legislação não contempla mecanismo que corresponda às especificidades.
“Encontramo-nos dentro de um desafio que é conciliar o mundo real com todos seus avanços tecnológicos, suas demandas e criar uma taxionomia compatível com elas. Mas esse processo precisa dialogar com uma legislação que nesse sentido é anacrônica, que não acompanhou essa evolução. Precisamos utilizá-la como parâmetro para propor os critérios. É preciso ante toda a dificuldade fazer essa ponte e fomentar esse diálogo para definirmos esses parâmetros e continuar nosso trabalho de fomento à cultura”, explicou Roberto Nascimento.
O conselheiro Luiz Alberto Carregosa, representante do Audiovisual na CNIC, afirmou que os critérios precisam ser definidos de acordo com os conteúdos dos projetos e não pelo suporte empregado. “Não podemos legislar sobre tecnologia, pois isso muda diariamente. Temos que analisar o conteúdo. Um CD, DVD, site ou portal de dança são projetos que cabem a essa área analisar.”
Atualmente, todas as propostas que utilizam esses novos suportes e mídias são enviadas para avaliação da área do audiovisual. O secretário Roberto Nascimento informou que em todas as secretarias e instituições vinculadas ao MinC será implementada uma nova “expertise” de forma a que o enquadramento seja feito pelo conteúdo do projeto e não mais pelo formato apresentado.

Direito Autoral: Congresso avalia proposta de revisão da legislação

A Escola de Direito da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e o Centro de Ciências Jurídicas da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) promovem o III Congresso de Direito de Autor e Interesse Público, que será realizado nos dias 9 e 10 de novembro, no auditório do Centro de Eventos da Fecomércio, na Rua Dr. Plínio Barreto, 285, Bairro da Bela Vista, em São Paulo. A iniciativa integra as ações do Fórum Nacional de Direito Autoral, promovido pelo Ministério da Cultura.
O tema dos debates será a análise da proposta de revisão da legislação no setor, elaborada pela Diretoria de Direitos Intelectuais da Secretaria de Políticas Culturais do MinC. A discussão foi dividida em 12 paineis temáticos, de acordo com os diferentes itens da legislação que estão sendo analisados, tais como Direito de Autor e Direito Patrimonial, Limitações ao Direito Autoral, Obras Sob Encomenda e Licenças Não Voluntárias, dentre outros.
O evento é dirigido a artistas, gestores culturais e demais interessados no tema. A entrada é franca e as vagas são limitadas. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site www.direitoautoral.ufsc.br. Outras informações pelo telefone (48) 3721-9287 ou pelo e-mail  direitoautoral@ccj.ufsc.br.

Previous Grand Moscow
Next O despudor de Jussara Freire

About author

You might also like

Política Cultural 0 Comments

Protestos, manifestações e paralisação marcaram o último mês na Escola Livre de Teatro

Por Carlos Gabriel Alves O clima entre a ELT (Escola Livre de Teatro), criada há 19 anos e reconhecida nacionalmente por seu sistema de gestão democrático, e a secretaria de

Política Cultural 0 Comments

Vale-Cultura vai aproximar pobres à cultura no Brasil

No dia 27 de julho, durante o programa de rádio semanal “Café com o Presidente”, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva resguardou a importância da democratização da cultura no

Política Cultural 0 Comments

Divulgado o resultado do edital de ocupação de teatros do Rio

Vencedores poderão ocupar os espaços da Secretaria Municipal de Cultura pelo período de dois anos, com possibilidade de renovação Por Felipe Sil A expectativa era grande para a divulgação dos

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!