Love, love, love

Love, love, love

Luciana Chama, Los Angeles

Logo que me mudei para Los Angeles, há dois anos, propus-me a conferir aquilo que os americanos sabem fazer como ninguém: casar arte e comércio em forma de super produção. Afinal, um bom entretenimento sempre distrai. Sem expectativas, mandei-me para Las Vegas, cidade da extravagância, para dar uma espiada nos espetáculos em cartaz. Durante uma explosão de cores, movimentos e sons, deparei-me com o show mais lindo do mundo: The Beatles LOVE, do Cirque Du Soleil, em cartaz no Hotel Cassino Mirage.

O espetáculo é uma declaração de amor à musica e à performance. Assistir a qualquer espetáculo do Cirque Du Soleil é uma aventura por si só, mas LOVE é rock’n’roll em poesia: é a historia de duas das maiores e mais poderosas forças criativas em união para realizar um espetáculo grandioso. É a primeira vez na história que a música dos Beatles é autorizada para uso em uma produção teatral.

Uma parceria de sucesso absoluto entre criador e investidor – e que investimento. Um teatro em 360 graus construído sob medida, no valor aproximado de US$ 180 milhões, 6.500 auto-falantes (incluindo três em cada assento), com projeção panorâmica dos vídeos. Um elenco internacional de 60 pessoas, representando 17 países diferentes, no qual o artista mais novo tem 9 anos e o mais velho, 74. A trilha sonora é o catalogo mais valioso da música pop mundial. The Beatles LOVE entra para a história como o investimento mais audacioso no mundo da performance no teatro.

 

O Cirque Du Soleil é um sonho. Embarcar em uma de suas viagens é uma experiência poderosa. Fruto de talento, ideia e visão associados a apoio financeiro de empresários. Arte pode ser um bom negócio, sim. E como. De um grupo circense de rua no Canadá, o Cirque Du Soleil se tornou um império da performance em escala internacional, com a ajuda de empresários que apostaram no talento e visão de Guy Laliberté, fundador do grupo. Hoje, criador e investidor desfrutam do resultado de uma grande parceria: sucesso, prestígio e milhões de dólares.

Luciana Chama é produtora com experiência em teatro, shows, turnês e festivais de música. Mora em Los Angeles, onde trabalha em parceria com a Sound Advice Artist Management. Escreve no blog www.lucianachama.blogspot.com.

Previous Ao lado de um grande ator há sempre uma fiel camareira
Next Notícias de West End

About author

You might also like

Internacional 0 Comments

Gripe A fecha as portas dos teatros na Argentina

Medida inédita é tentativa desesperada do governo para deter avanço da Influenza.

Internacional 0 Comments

A memória da terra

Em meados dos anos 1990, o Théâtre de Complicité trouxe um espetáculo que demonstra a transformação da memória em fábula Quando a terceira vida de Lucie Cabrol se torna eterna,

Internacional 0 Comments

Vasconcellos: carioca que conquistou Porto Alegre

Por Leonardo Serafim O adjetivo polivalente cai como uma luva na hora de descrever Luiz Paulo Vasconcellos. Em 50 anos de carreira, completados em 2009, não existe área no cenário

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!