Centenário de Luiz Gonzaga é comemorado em dezembro

Centenário de Luiz Gonzaga é comemorado em dezembro

Por Rebeca Dourado
Redação

O centenário de Luiz Gonzaga será comemorado no dia 13 de dezembro, mas esta data já lhe rendeu inúmeras homenagens pelo Brasil ao longo do ano. O Rei do Baião levou a música nordestina à rádio e apresentou ao país ritmos da música popular ainda desconhecidos: xote, baião e xaxado.

Sempre acompanhado de sua sanfona, zambumba e triângulo, Luiz Gonzaga fazia a alegria das festas juninas e forrós pé-de-serra no sertão. No Rio de Janeiro, se dedicou à carreira artística, mas ainda interpretando clássicos estrangeiros de paletó e gravata em shows de calouro. Até que, em 1941, foi aplaudido no programa Ary Barroso com a música de sua autoria “Vira e Mexe”. A partir daí, Luiz Gonzaga iniciou uma trajetória de sucesso na música popular brasileira.
Gravou discos e lançou músicas que até hoje estão no repertório das festas brasileiras.

Seus maiores sucessos são Asa Branca, Luar do Sertão, Juazeiro, Xote das Meninas, Riacho do Navio, Cintura Fina, entre outros. Muitas das suas músicas ele fez em parceria com músicos como Humberto Teixeira, Zédantas e gravou muitos duetos com seus discípulos, como Carmélia Alves, Dominguinhos, Elba Ramalho, Fagner e Milton Nascimento. Apresentou-se em Paris no Zénith, Olympia e na Grande Halle de La Villette. Em 1984, recebeu o Prêmio Shell, com o qual, antes dele, somente Pixinguinha, Dorival Caymmi e Tom Jobim haviam sido agraciados.

O Rei do Baião faleceu em 1989, em Pernambuco, deixando para o país a música popular brasileira mais rica. Em homenagem a seu centenário, diversos eventos e exposições aconteceram pelo Brasil. Além disso, um filme dirigido por Breno Silveira (diretor de Dois Filhos de Francisco) abril o Festival do Rio em outubro e está em cartaz nos cinemas do país até hoje. O longa-metragem mostra os encontros e desencontros da vida do rei junto com seu filho, Gonzaguinha.

Previous Prêmio Extra de Televisão é entregue aos melhores de 2012
Next Escassez de pianistas brasileiros em concurso faz BNDES anunciar bolsas de estudos

About author

You might also like

Vida & Obra 0 Comments

O traço (sempre) inovador de Elifas Andreato

Com quase 50 anos de carreira, o cenógrafo e artista plástico aindaé reconhecido pelo fantástico trabalho que faz desde os anos 1960 Por Pablo Ribera Elifas Andreato é sinônimo de

Vida & Obra 0 Comments

O rei de uma geração

Rubens Correa é referência profissional no teatro brasileiro considerado um dos melhores…

Vida & Obra 0 Comments

Os absurdos de Fernando Arrabal

Dramaturgo espanhol, idealizador do Teatro Pânico, veio ao Brasil e falou sobre a sua criação: uma nova tendência teatral Por Pablo Ribera Fernando Arrabal não é só o autor espanhol

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!